quarta-feira, 29 de março de 2017

‘O legado da escravidão continua e o mundo ainda tem de vencer o racismo’, diz Antônio Guterres.

quinta-feira, 23 de março de 2017





 
 


                                                                                                                                                                                    

Departamento Editorial, Divulgação, Artes e Cultural /Núcleo de Produção Editorial e Divulgação do COMPAZ (C/DEDAC / N-PED/FC).

             -------       Três Rios - Estado do Rio de Janeiro  - Brasil ----------------

Produção Editorial e Conselho Editorial do FC.

    O tempo de experiência dos Membros do Conselho Editorial de um periódico demonstra sua importância e credibilidade. Uma proposta Editorial bem definida, correção da Informação, e boa qualidade das Ilustrações são características que norteiam o Jornal/Revista FOLHA CULTURAL/FC /Jornalismo Pacifista - Cultural. ‘ A Serviço da Qualidade da Informação e Comunicação’. Distribuição Dirigida para o Centro Sul-Fluminense, Vale do Paraíba do Sul  e seu entorno, para: Produtores Rurais/Indústrias/ Comércios/ Condomínios Residenciais/ Poderes: Executivos/ Legislativos /Judiciários//Assinantes e ONGs. FOLHA CULTURAL/FC integra metas e finalidades do Comitê pela Paz/COMPAZ através da Publicação do DEDAC/N-PED, desde 1990. Nossa Contribuição para a caminhada na Promoção, Produção e na Preservação do Patrimônio ambiental, histórico, sócio/ambiental - artístico/turístico – cultural; produzidos pelo COMPAZ. Compomos nestas 4 (quatro) Décadas na Equipe Editorial no Jornalismo - Cultural do Periódico FOLHA CULTURAL/FC: Wilson Rodrigues de Andrade/ Maria Aparecida Bravo Xavier/ Antônio Maximiano de Oliveira, nós os jornalistas Interioranos Fluminenses, os que amamos e respeitamos esta que encaramos em verdadeira missão de Vida. Nossas Vidas...



ONU Mulheres lança ação digital com youtubers negras para combater o racismo. Publicado em 21/03/2017. ( fotos das negras II /Arq. PC...)
O Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, marcado em 21 de março, ganhou o apoio de youtubers negras brasileiras que uniram suas vozes contra o racismo. A ação digital Youtubers Negras na Década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024) é uma parceria da ONU Mulheres Brasil com a Articulação de ONGs de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB).  O objetivo é mostrar o que deve ser feito na Década Internacional de Afrodescendentes na visão das jovens produtoras de conteúdo.
Proclamada em 2015 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, a Década Afro propõe avanços para a proteção dos direitos da população negra no mundo sob o lema “Povos afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento”. A iniciativa é uma continuidade dos compromissos firmados pelos Estados-Membros da ONU com o Plano de Ação de Durban, documento da 3ª Conferência Mundial contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e Intolerâncias Correlatas, de 2001, que foi reiterado na Conferência de Revisão de Durban, de 2009.
Conhecidas pela produção de conteúdo voltado para o empoderamento das mulheres negras no Youtube, Carolina Lima, do canal Já tinha Carol; Lorena Monique, do Neggata, Patrícia Rammos, do Um abadá para cada dia; Winnie Bueno, do Preta Expressa; e Xan Ravelli, do Soul Vaidosa, produziram vídeos especiais sobre o tema. Elas contam um pouco das suas trajetórias e indicam ações que podem trazer mudanças para o dia-a-dia de mulheres e meninas negras no Brasil.




 “A visibilidade é um ponto chave para as mulheres negras de todas as idades, incluindo as do presente, futuro e as do passado, que lutaram pela liberdade e pela garantia de sobrevivência do povo negro. O racismo e o sexismo apagam as contribuições das mulheres negras para o desenvolvimento do país, ao mesmo tempo em que encobrem as violações de direitos humanos das mulheres negras, impedindo o fim das desigualdades com base na raça, gênero e outras formas de opressão e de discriminação”, afirma Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil./UNIC-Rio COMPAZ/FC. 17.


22 de Março. Dia Mundial da Água.



 

O acesso à água potável e aos serviços de saneamento é essencial aos direitos humanos, assim como à dignidade e à sobrevivência de mulheres e homens em todo o mundo, sobretudo dos mais desfavorecidos. #WorldWaterDay #DiadaÁgua


A Água é um recurso limitado com uma demanda mundial crescente. Precisamos reduzir e reutilizar as águas residuais. Ao explorar esse recurso valioso, otimizamos o ciclo da Água para todos os seres vivos. #WorldWaterDay #DiadÁgua
Acesse aqui o Relatório das Nações Unidas para o Desenvolvimento de Recursos Hídricos. Águas residuais: o recurso inexplorado: http://bit.ly/wwr_pt

A água que os seres humanos usam para serviços e atividades diárias em casa, nas indústrias e na agricultura pode ter um destino diferente e não ser liberada no meio ambiente sem tratamento. Essa água já utilizada é um recurso chamado água residual.

Lançamento mundial do relatório das Nações Unidas para o Desenvolvimento de Recursos Hídricos “Águas residuais: o recurso inexplorado” nesta quarta-feira, 22 de março, Dia Mundial da Água.



  Educar para a PAZ

 
           A Cultura de Paz – passa pelo pensar globalmente e o agir localmente, na medida em que nossas atitudes e atuações  tornam-se coletivas.
         Na Constituição Brasileira de 1988, a exaltação da Paz está expressa, como também nas Constituições de Países latino-americanos, assim com de muitas outras Nações. A Declaração Universal dos Direitos Humanos relaciona a Paz com as atividades e anseios dos Povos no Mundo. Não só pela relevância da expressão ‘Paz’. A Cultura de Paz extrapola o acolhimento constitucional e legal de seu teor. Pois, proporciona fortalecimento aos Pactos firmados e celebrados pelas Nações – tudo isso torna de grande importância na defesa da PAZ. Entretanto, a Cultura de Paz é decisiva para sua vigência efetiva no Processo Civilizatório da Humanidade – na Vida concreta dos Povos; ou seja, no instante que compõe: Constituição, Leis, Pactos, Acordos, Convenções... – mecanismos de controle, em que o pressuposto deve objetivar o criar condições e possibilidades para os facilitadores da Cultura de Paz. 
       O Ideário da Paz acolhida nas mentes e nos corações resulta da busca pela conscientização, através da Inteligência e da Vontade. Cultura de Paz – devotamento a Causa da Paz – do Ideal Pacifista, com disseminação do sentido de Paz em todo o Organismo Social, no âmbito Nacional e Internacional. Este é o desafio com o esforço da convivência humanística e de seu Processo Civilizatório na contemporaneidade. Cultura de Paz pede um serviço da Educação. Trata de uma empreitada específica, relacionado a um objetivo escolhido; ou seja, Educar para a Paz. Educar para o florescimento, para o conhecimento e sua manutenção, e a Defesa da Paz – o que se deve pretender; é a Educação para plasmar na alma das Pessoas, dos Grupos Sociais, dos Povos – e deste modo, criar a positiva Consciência Coletiva. Este esforço educacional terá necessariamente diversas fronteiras de atuação, tais qual: na Escola, na Família, nas Igrejas, nas Organizações da Sociedade Civil, nas Organizações Intergovernamentais, nos Meios de Informação e Comunicação. A empreitada não é fácil – sabedores que somos que a Defesa da Paz não é unânime. Há atores sociais que desejam a guerra, que vivem da guerra. Há forças que alimentam a discórdia, que desencorajam o Diálogo, que sabotam todo e qualquer esforço pacifista.
       O manter-se em vigilância; para contrapor o entendimento à ‘surdez’ no ouvir, a mesa de negociações, às trincheiras, o convívio entre as Nações isoladas, este esforço cabe aos arautos da PAZ em toda parte do Planeta, e entre os Povos pela Cultura de PAZ.

    Wilson Rodrigues de Andrade - Membro- Fundador e Sec. - Geral do COMPAZ/FC- TR/2013.
       

quarta-feira, 15 de março de 2017



Comitê pela PAZ/ COMPAZ – Organização da Sociedade Civil Não -Governamental/ONG. Pacifista-Cultural – Entidade em Condições de Defesa e Apoio ao Interesse Público e/ou Privado do Centro - Sul Fluminense, Vale do Paraíba do Sul (RJ/SP/MG) e seu entorno. Três Rios, Estado do Rio de Janeiro, Brasil.



Conceituação, abrangência, composição e forma de atuação e               Município/Sede do COMPAZ:
   
    O PACIFISMO teoria ou prática política - social; os que defendem a resolução dos conflitos internacionais – quanto ao desarmamento de Países e, por consequência, a Paz universal. Os que nutrem Amor à Paz. Os PACIFISTAS – os que visam apoiar e promover o Pacifismo – modo de defender: a Causa no âmbito: Ambiental; da Diversidade sócio-artística - cultural, da Dignidade da Vida das Pessoas.

Defender o Pacifismo – é também avançar na vigilância Cidadã (pela Ação das Políticas Pública...). E, manter-se vigilante, no sentido de termos posicionamento Justo/Fraterno e Produtivo. O Pacifismo - Cultural - É o reafirmar envolvimento consciente, e no desejo de contribuir, apoiar e promover a Construção da ‘tecnologia social’ – o compartilhar – o não fechar, mais sim, o despertar de oportunidades permanentes da Comunidade: Seus Conteúdos, suas Manifestações e suas Expressões – para Promoção da Produção do Potencial local; com Visão Igualitária e Solidária - o congregar sustentável no relacionamento pleno do envolvimento Sócio - Artística - Cultural; no incorporar novos Valores positivos, e o Bem-Estar – Vida saudável para todos, com alegria e prosperidade, e pela qualidade para seus Membros.
 Na busca da definição de PAZ, a Carta da Terra, Documento oriundo da ECO’ 92 – assim nos mostra: “ A PAZ é a plenitude que  resume das Relações corretas contigo mesmo, com  outras Pessoas, com  outras Culturas, com outras Vidas, com a Terra e com o Todo do qual Somos  parte”. – fica evidente, Paz não é um dado que existe em si. PAZ é resultado, também, de Relações corretas com as diferentes realidades. Portanto, sem estas corretas Relações (isto é, através de justiça), jamais  desfrutarão de PAZ.

      
     (*) Nós do Comitê pela PAZ/ COMPAZ – Diretores, Coordenadores de Núcleos, Setores e Divisões; Colaboradores e Parceiros Afins, Associados, Assistidos e Simpatizantes; partindo do desafio de incentivar Caminhos para o Desenvolvimento e Apoio com Visão empreendedora, todos inseridos no Processo de Inclusão do Setor da Economia Criativa/EC, e Economia Solidária/ES e Multicultural – na busca de agregar Valor no elenco de Projetos e Programas e de Marcas arroladas. E, também o compromisso com o resgate de princípios, costumes, e apoio no exercício do serviço humanitário em nossas Localidades, e em toda parte. Portanto, proporcionar relacionamento para a Promoção, Mobilização e Bem-Estar – que desde a criação, em 17 de Agosto de 1985, seguimos o propósito do pensamento colaborativo, coletivo e participativo junto à Comunidade/Alvo – a partir do Município/Sede - Três Rios- Estado do Rio de Janeiro e seu entorno, através do referencial e potencial produtivo sócio – artístico - histórico e turístico - cultural, e o fomentar iniciativas das Localidades; e assim, estabelecer entendimento mútuo.  
     Nossa Tarefa Na medida em que nossa meta e finalidade abarcam os reclames globais consideramos que através da Cooperação pela Cultura de Paz, criar condições de colocar em prática Projetos e Programas – ao consciente  momento de nossa Causa; pois, quando pode ser dividida, o sucesso consegue multiplicar-se. Portanto, ao partirmos da prática da Gestão do Conhecimento/GC. – conceito que cria rotinas e sistemas para facilitar o crescimento e o compartilhar conhecimentos entre Colaboradores em nossa ONG. Pacifista-Cultural, e, no buscar saídas e alternativas com continuidade, e não, e tão somente Resultados.     
   Provocar consciência crítica através da CULTURA – manifestação por excelência do Ser Humano – o seu Território, estimular as ARTES, seus produtores e promover Desenvolvimento e seu relacionamento, avançar na Ação/Cidadã diante, também, da Política Pública do Setor, e motivar nossos envolvidos e suas Localidades na Região/Alvo.
     Como colaborar por um Mundo ambiental, social e economicamente Sustentável – Abrir Caminhos para o permanente Diálogo e para a Conscientização, a partir do Conhecimento pelas experiências e pelo processo dialético – aprendizado constante na construção do melhor possível –, na manutenção da Paz para nossa Comunidade/Alvo, e para toda parte; e deste modo proporcionar entusiasmo saudável aos que promovem o pacifismo - cultural mundo afora...


         (*) Visar entendimento mútuo – no pleno exercer o Amor, a Ordem e a Boa- Vontade. Tornar o facilitador da Paz entre os Povos. Portanto, ‘Pensar globalmente e Agir localmente’ (em nosso quintal, deve ser nosso desafio permanente). Não precisamos pensar em transforma o Planeta, e sim, proteger, preservar, manter a Vida!  Nossa Vida! Apoiar a Arte de Viver sem atritos desnecessários; Viver para o fortalecimento de nossa espiritualidade, proporcionar a constante geração de novos Conhecimentos através do intercâmbio educativo - artístico - cultural; apoiar e proporcionar condições de mais Criadores e menos Consumidores para o Desenvolvimento e construção da Vida plena.   
Promover o Bem-Estar –Vida para todos – a partir do Setor Educacional e ao passar pela Proteção e Preservação do Patrimônio Cultural e Artístico e Ambiental,  e, no conquistar e fortalecer exercício de Cidadania plena; tal como ao entusiasmo positivo para os que venham colaborar nesta Jornada. Congregar alegria e prosperidade com Paz.  (Pesquisa e organização Editorial de Texto/Wilson Rodrigues de Andrade. Membro -fundador e Secretario- Geral do COMPAZTR.
  
 ... Todas as graças da Mente e do Coração se escapam quando o propósito não é firme.
                                                                                                W. Shakespeare.                    

Comitê pela PAZ/COMPAZ - desde, 1985 - pela Cultural de PAZ =====================      Preserve Conosco essa Ideia Cultural.