quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018


1. Resiliência

        Capacidade que um indivíduo ou uma população apresenta, após momento de adversidade, conseguindo se adaptar ou evoluir positivamente frente à situação.

            Após perder as pernas em um acidente de carro João ministra palestras a adolescentes sobre os riscos que um pequeno descuido pode causar às pessoas, isso é pura resiliência.
Flexibilidade. Capacidade para adaptar-se a mudanças
Quando você é acostumado a realizar algum tipo de tarefa e, de repente a forma de realizá-la muda. Você deve ser resiliente para adaptar-se a isso.
Capacidade de se reerguer.
Alguém que após passar por uma situação difícil, é capaz de ser ou fazer o que fazia antes sempre com o mesmo foco.
A capacidade do Ser Humano, ultrapassar limites, tirando de dentro de si força para superar alto grau de dificuldade. Sei de casos em que o resiliente, se pergunta: como consegui aguentar tamanha dificuldade, sem ter sucumbido. Onde em casos de pessoas não resilientes, tal força não teria se manifestado.
RESUMINDO: É tirar forças das entranhas do teu Ser.
Conseguir superar grande dificuldade, ou pressão em sua vida, ao tirar daí  mais força e aprendizado... Isto é Resiliência.  COMPAZ/Folha Cultural - Fev./18.


Países firmam compromisso pela saúde de mulheres, crianças e adolescentes na América Latina e Caribe. Publicado em 05/07/2017


       Em reunião no Chile, países da América Latina e do Caribe firmaram em, 4 de Julho/17, um acordo para pôr fim às mortes evitáveis de mulheres, crianças e adolescentes até 2030. O Documento, chamado Compromisso para Ação de Santiago, foi apresentado pela Presidenta chilena Michelle Bachelet e adotado por representantes de nove Nações, incluindo do Brasil. Também participaram do encontro dirigentes de organismos da ONU. Cerca de 196 mil crianças com menos de cinco anos morrem na América Latina e no Caribe a cada ano. Desse grupo, 85% têm menos de um ano de idade. Na Região, mais de 6,2 mil mulheres morreram em 2015 por complicações durante a gravidez e parto, a maioria delas preveníveis. A saúde dos jovens e suas chances de prosperar também estão condicionadas às disparidades no acesso a saúde, educação e oportunidades de emprego. As Américas têm uma das maiores taxas de gravidez na adolescência do mundo. Entre a principais causas de morte dos adolescentes, estão os homicídios (24%), os acidentes de trânsito (20%) e os suicídios (7%). “As desigualdades em saúde não são apenas injustas, mas também ameaçam os avanços que fizemos nas últimas décadas e colocam em perigo o crescimento econômico e o desenvolvimento social” na Região, enfatizou a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne.
O Compromisso para Ação de Santiago foi lançado e adotado durante a Reunião de alto nível Todas as Mulheres, Todas as Crianças, Todos os Adolescentes, que contou com a participação dos Ministros de Barbados, Chile, Cuba, Guatemala, México, Uruguai e outras nações. O ministro do Desenvolvimento Social do Brasil, Osmar Gasparini Terra, também participou do encontro.
“Precisamos de cada país para desenvolver uma abordagem integrada para mulheres, crianças e adolescentes, fortalecendo componentes da estratégia como o desenvolvimento da primeira infância, saúde e bem-estar dos adolescentes, melhorar a qualidade, equidade e dignidade nos serviços de saúde, direitos sexuais e reprodutivos, empoderamento das mulheres, meninas e comunidades, e soluções para as crises humanitárias e situações mais frágeis em nossa região”, afirmou Bachelet.
O acordo regional visa dar início à implementação nas Américas da Estratégia Global para a Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente 2016-2030, um roteiro lançado pelo Secretário-Geral das Nações Unidas para melhorar as condições de vida desses segmentos. O brasileiro e vice-diretor-executivo do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Luiz Loures, ressaltou que a “América Latina e o Caribe são os primeiros a ter uma coordenação regional (para a estratégia global)”. Os Países que aderiram ao Compromisso também garantem que abordarão as desigualdades de gênero, étnicas e de direitos humanos. O documento reconhece que essas três dimensões estão interligadas, podendo ser agravadas por situações de discriminação. Entre as ações prioritárias definidas pelo documento, está a promoção da qualidade no atendimento e do acesso universal aos serviços de saúde. Também estão previstos o fortalecimento da cooperação entre Estados para abordar contextos específicos e a realização de ações multissetoriais dentro e entre os Países signatários.
A assessora regional de saúde sexual e reprodutiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Alma Virgínia Camacho, afirmou que “a estratégia prioriza o princípio de ‘não deixar ninguém para trás’, que é consistente com a Agenda 2030“. Ainda segundo a especialista, o acordo está em consonância com o mandato da agência da ONU, que busca contribuir com um mundo no qual cada gravidez seja desejada, cada parto seja seguro e cada jovem possa alcançar seu pleno potencial. UNIC-Rio/ COMPAZ-Folha Cultural...

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018


Há 70 anos morria Mahatma Gandhi, o pai dos protestos pacíficos.

                         Gandhi é considerado um Herói no movimento de Independência da Índia. Sua visão de protestos não violentos inspirou rebeldes e revolucionários Mundo afora. O pensamento dele influenciou os líderes do Congresso Nacional Africano e outras pessoas que se comprometeram, assim com Mandela, a lutar contra o Apartheid. Gandhi foi assassinado por um fanático hindu em 1948. Suas visões de Mente Divina, entretanto, ainda irritam muitos!  Gandhi – Já em Janeiro de 1948, em seu último Jejum, em dado momento considerou. “durante toda a minha Vida; estive como todos deveriam estar do lado das minorias e dos necessitados... Espero uma purificação integral dos Corações”. (Pesquisa e Organização de: Wilson Rodrigues de Andrade – C/Folha Cultural/11)

Há 70 anos morria Mahatma Gandhi, o pai dos protestos pacíficos.
          Figura fundamental para a independência da Índia e reverenciado como pai do Estado indiano moderno, há 70 anos morria, assassinado em 30 de janeiro de 1948, Mahatma Gandhi, líder que inspirou milhões de indianos na década de 1940 a se rebelar contra o Império colonial britânico através da desobediência civil e em protestos pacíficos, visando a conquista de direitos sem o uso da força. Com discursos que apelavam à fé e ao amor, Gandhi continua extremamente presente no dia-a-dia da Índia — em praticamente todas as cidades do país existem estátuas, monumentos, ruas e escolas com seu nome; e crianças estudam sua biografia do primário ao colegial.
         Nascido Mohandas Karamchand Gandhi, em 2 de Outubro de 1869, em Porbandar, no estado indiano de Gujarat, noroeste do país, o líder acabou ganhando a alcunha “Mahatma” (palavra que significa “a grande alma” em sânscrito) por “haver se tornado um dos mais destacados indianos ativos na vida pública de seu país e do Império Britânico na primeira metade do século 20″, segundo explica Santosh Kumar Rai, professor de história moderna indiana na Universidade de Nova Déli.
           Filho do primeiro-ministro (prefeito) de Porbandar e de uma hindu devota, cresceu sob grande influência do Vaishnavismo – uma ramificação do hinduísmo, e do Jainismo, uma religião indiana que prega a não violência e a crença de que tudo no universo é eterno. O vegetarianismo, o jejum como um ato de purificação e a tolerância – fizeram parte de sua criação. Casou-se com apenas 13 anos com Kasturba Gandhi, que à época tinha 14 anos.
          A Índia obteve a liberdade em 15 de agosto de 1947 e a contribuição de Gandhi foi muito importante tanto por causa de sua luta política, exigindo liberdade através de meios pacíficos, quanto por sua criação de consciência social e seu direcionamento para o povo indiano.
Legado
           Sete décadas depois, Gandhi continua sendo uma figura importante para a Índia e para o mundo. O dia 30 de janeiro é marcado como o “Dia do Mártir” na Índia. “Um silêncio de dois minutos em memória dos mártires indianos é observado em todo o país às 11 da manhã. Participantes de todas as religiões prestam suas orações, realizam cerimônias e homenagens são organizadas em toda a Índia”, conta Santosh Kumar Rai, o professor da Universidade de Nova Déli. Um Museu Nacional Gandhi também existe na capital e museus menores estão presentes em locais por onde o líder passou.
         Dentre as lutas encampadas por Gandhi estava o direito das mulheres — sobre o qual argumentava que uma Sociedade não-violenta só seria possível com o fim das desigualdades. Ele nunca chegou a ganhar o prêmio Nobel da Paz, embora tenha sido indicado cinco vezes — décadas mais tarde, o comitê do responsável pelo prêmio reconheceu o erro e declarou seu arrependimento. Geir Lundestad, secretário do comitê norueguês, chegou a dizer em 2006 que “Gandhi poderia ficar sem o prêmio Nobel, mas o Comitê do Nobel não poderia ficar sem Gandhi”.
 “O mundo percebeu hoje que a melhor maneira de buscar suas demandas dos poderosos é através de meios não violentos e que, em última análise, no final é a verdade que ganha”, resume Chauhan, o cônsul indiano. FC/Jan.-18.


sábado, 20 de janeiro de 2018

ONU recebe inscrições para curso gratuito no Chile sobre economias latino-americanas /Publicado em 17/01/2018 /CEPAL -COMPAZ/FC.


        Estão abertas até 16 de Abril as inscrições para a Escola de Verão sobre Economias Latino-americanas 2018, programa de formação oferecido pela Comissão Econômica da ONU para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

           Curso gratuito é voltado para jovens pesquisadores, graduado ou pós-graduado. Aulas acontecem entre 18 de julho e 28 de setembro, na sede do organismo regional, em Santiago, no Chile. Participantes devem arcar com custos de deslocamento e estadia.

Criado em 2000, o projeto já recebeu mais de 500 estudantes de 35 países. As aulas, conduzidas em espanhol e inglês, são ministradas por pesquisadores da CEPAL e por professores de prestígio da região e de outras partes do mundo.
A formação oferece um espaço plural de pensamento, promovendo a discussão e a reflexão sobre problemas latino-americanos, com base nas contribuições especializadas de diferentes departamentos da agência da ONU e nos últimos avanços da pesquisa acadêmica.

Em 2018, o curso chega à sua 19ª edição e terá a colaboração do Institute for New Economic Thinking. Inscrições devem ser feitas em meio online, no site da CEPAL. A lista de pessoas selecionadas será publicada também na página, no dia 25 de abril.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

...O Mundo sem fronteiras... O Novo ideal de Vida...


         ...Este em que a Identidade não se define pelo lugar onde nasce. O que molda quem somos não é mais o lugar onde nascemos... É, portanto, um conjunto de ritmos e ritos e relacionamentos construídos pelas experiências e com vivencias  que pode nos levar a sentirmos em ‘casa’; quando encontramos  esses ritmos semelhantes aos nossos, quando encontramos pessoas, fatos, atitudes, e experiências -  com quem nos relacionamos e compartilhamos nossas vivencias, também. Sempre estamos a nos mover e a nos conectar, não e tão somente com Países e Localidades, mas com ritmos e ritos, e pessoas – Somos de onde nos relacionamos e nos partilhamos. Colaboradores no local em que possamos mostrar nossos Valores; interagir. Servir e ser acolhido. – desse modo, a fronteira estará escancarada para as concedidas oportunidades de relacionar-se no Novo Ideal de Vida... (De: Wilson Rodrigues de Andrade – Jornalista Pacifista - Cultural e Produtor Editorial  C/N-PED do COMPAZ  - Jornal/Revista Folha Cultural/Texto de Set./2017.)

Você sabe o que é violência patrimonial?
Essa é uma violência comum, que acontece muitas vezes de forma invisível. Quando o parceiro controla o seu dinheiro, não te deixa trabalhar ou destrói seus cartões, roupas e documentos, trata-se de violência patrimonial.

A mulher que está sob este tipo de controle tem a sua autoestima abalada, se sente aprisionada e perde a sua capacidade de sonhar. Se você conhece alguém que pode estar nesta situação sem saber que é uma vítima de violência, mostre seu apoio! #JuntasTransformamos ONU Mulheres Brasil Instituto Avon

domingo, 14 de janeiro de 2018

CEPAL reafirma seu compromisso de trabalhar por   um desenvolvimento igualitário 

                                                    /Publicado em 10/01/2018 / Via UNIC/Rio  - COMPAZ/FC.




     A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) celebrou nesta quarta-feira (10) seu 70º aniversário com um seminário de alto nível em sua sede de Santiago do Chile no qual reafirmou seu compromisso em trabalhar por um desenvolvimento com igualdade, sustentabilidade ambiental, dignidade e bem-estar para todos os habitantes da região.
“Chegou a hora de crescer para igualar e igualar para crescer. Devemos romper com a cultura dos privilégios, que se manifesta na evasão e elisão fiscal, assim como nos fluxos ilícitos de capitais. A igualdade fortalece a democracia e ajuda a provisão de bens públicos”, disse a máxima autoridade da instituição, Alícia Bárcena.
           O evento, que iniciou as atividades de comemoração dos 70 anos da Comissão, que serão completados em 2018, reuniu quatro ex-secretários-executivos do organismo com a atual secretária-executiva, Alicia Bárcena, que refletiram em uma mesa redonda sobre a história e as contribuições da instituição para o pensamento latino-americano e caribenho. Como convidada especial, a presidente chilena, Michelle Bachelet, também participou do encontro.
“Este novo aniversário nos oferece a oportunidade de revitalizar nossa missão e reafirmar nosso compromisso com os valores que sustentam nosso trabalho cotidiano. Oferece-nos a preservar e promover a dignidade e o bem-estar dos habitantes desta vasta e diversa região, e defender uma maior igualdade de direitos e oportunidades para todas e todos”, disse Bárcena durante a reunião.
“Chegou a hora de crescer para igualar e igualar para crescer. Devemos romper com a cultura dos privilégios, que se manifesta na evasão e elisão fiscal, assim como nos fluxos ilícitos de capitais. A igualdade fortalece a democracia e ajuda a provisão de bens públicos”, disse a máxima autoridade da instituição.
Por sua vez, a Presidente chilena reconheceu as contribuições da CEPAL, que marcaram a história do pensamento econômico e social da Região por todos estes anos. “Suas ideias foram reconhecidas e estudadas nos centros acadêmicos mais destacados do mundo e seus trabalhos deram uma contribuição enorme para a gestão das políticas públicas”, disse.
“A história nos demonstrou a importância, a vigência e a transcendência do pensamento da CEPAL e de como a integração das economias deve ser feita cuidando não apenas da quantidade de sua inserção, como também de sua qualidade”, disse a presidente chilena.

Bárcena enfatizou também que, diante dos desafios apresentados pelo mundo atual, é necessário mudar a interação entre Estado, mercado e sociedade, com um “grande impulso ambiental para modificar o estilo de Desenvolvimento”, tal como proposto pela Comissão regional das Nações Unidas em seus últimos trabalhos.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

 P/ Nossa Reflexão.. COMPAZ-.Folha Cultural/FC.


Olavo Bilac foi abordado por um comerciante na rua:
– Sr. Bilac, estou precisando vender o meu sítio. Será que poderia redigir o anúncio para o jornal?
Olavo Bilac escreveu:
"Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer no extenso arvoredo, cortada por cristalinas águas de um ribeirão. A casa é banhada pelo sol nascente, oferece a sombra tranquila das tardes, na varanda".
Meses depois, topa o poeta com o homem e pergunta-lhe:
-VENDEU o sítio??!!
– Nem penso mais nisso! Quando li o anúncio é que percebi a maravilha que eu tinha!
Às vezes, não percebemos as coisas boas que temos conosco e vamos longe, atrás de miragens e falsos tesouros.
Valorize o que você tem:
👉a Vida que Deus deu a cada um de Nós
👉a pessoa que está ao nosso lado
👉a nossa Família -Humanidade
👉os amigos que estão sempre perto de cada um de Nós
👉o trabalho que conquistamos
👉o conhecimento que adquirimos
👉a sua saúde que preservamos
👉o sorriso que temos e com espontaneidade repartimos...
Esta Reflexão não só p/ as coisas que queremos para 2018, e voltar a agradecer por tudo que nos foi permitido conquistar e sermos conquistado em 2017. Felicidades p/ todos Nós e com PAZ.... Adaptação de: WRA (917-18)

1. Resiliência         Capacidade que um indivíduo ou uma população apresenta, após momento de adversidade, conseguindo se adaptar ou ev...