quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Via UNIC-Rio/C/FC. 

CEPAL: autonomia das mulheres é imprescindível para a igualdade de gênero. Publicado em

A autonomia socioeconômica das mulheres é um requisito necessário e imprescindível para alcançar uma verdadeira igualdade de gênero na América Latina e no Caribe, alertou a diretora da divisão de assuntos de gênero da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), María Nieves Rico. Ela lembrou que ao menos 12 mulheres são vítimas de feminicídio por dia na Região.
O Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 5 prevê alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas. Foto: EBC
O Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 5 prevê alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas. Foto: EBC.

A autonomia das mulheres é um requisito necessário e imprescindível para alcançar uma verdadeira igualdade de gênero na Região latino-americana e caribenha, afirmou nesta terça-feira (10) a diretora da divisão de assuntos de gênero da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), María Nieves Rico, no quarto capítulo de “Horizontes CEPAL”, novo programa multimídia desse organismo das Nações Unidas.
Em entrevista, a oficial da ONU abordou o processo de construção da Agenda regional de gênero durante as últimas quatro décadas sob o enfoque de direitos humanos, e identificou os principais objetivos relacionados à autonomia das mulheres em três dimensões - chave: física, econômica e na tomada de decisões.
Dados oficiais dos Países indicaram que ao menos 12 mulheres são assassinadas em média a cada dia na região só pelo fato de serem mulheres, alertou Rico no programa.
“A América Latina e o Caribe é a região do mundo com maiores avanços em legislação sobre violência contra as mulheres”, mas a vontade política expressada nessas leis não é suficiente para erradicar esse flagelo que se sustenta em padrões culturais patriarcais entranhados nas sociedades latino-americanas e caribenhas, explicou.
A Estratégia de Montevidéu, aprovada durante a XIII Conferência Regional sobre a Mulher de América Latina e Caribe, realizada no fim de Outubro/16, no Uruguai, identificou essas práticas como um dos nós estruturais da desigualdade de gênero na Região, disse a oficial da ONU.
A Estratégia de Montevidéu foi adotada para a implementação da Agenda regional de gênero nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e na Agenda 2030.
Durante a entrevista, María Nieves Rico compartilhou alguns dos principais indicadores incluídos no documento “Autonomia das Mulheres e Igualdade na Agenda do Desenvolvimento Sustentável”, apresentado na Reunião no Uruguai.
Ela lembrou, por exemplo, que uma em cada três mulheres na Região não tem renda própria e que mais da metade (55%) não tem renda própria ou recebe menos que o salário - mínimo mensal de seu País. Entre as que têm renda, 23,6% têm renda pessoal abaixo da linha da pobreza.
A especialista afirmou também que a América Latina e o Caribe foi a primeira Região do mundo a ter leis de cotas para aumentar a participação das mulheres nos cargos de representação popular. No entanto, em nenhum nível da tomada de decisões nos poderes do Estado as mulheres superam atualmente 25% (prefeituras e ministérios) ou 30% (parlamentos e tribunais de Justiça) do total, disse.
“A igualdade de gênero não é apenas igualdade de oportunidades, mas também de resultados”, concluiu Rico.

sábado, 7 de janeiro de 2017



Ação Voluntária – é Cidadania em AçãoPropósito de envolvimento para inclusão de valores  voltados para a Cultura de Paz. *C/FC.


         Neste aspecto, o prestar o Serviço Voluntário marca um papel relevante, o construir instrumentos de formação de Cidadãos e Cidadãs capazes de apoiar criação de possibilidades de melhorias pessoais e para as Comunidades. Não, e tão somente na visão assistencialista e filantrópica,  mas uma Cidadania ativa, com atitude de fazer parte, conscientes de responsabilidades pelo que passa  no Meio. Um comprometimento com a Coletividade e sua Diversidade e as melhorias. O Serviço Voluntário  em processos culturais, visa  contribuir na preservação do Meio Ambiente, e a preservação e Desenvolvimento pleno. Portanto, quem quiser dedicar-se no  voluntariado sociocultural sempre encontrará seu Espaço. A Organização da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançou em Paris o *Relatório “Reformulando Políticas Culturais: uma Década promovendo Diversidade de Expressões Culturais para o Desenvolvimento que monitora o progresso e os desafios na implantação da Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais. O Tratado foi criado em 2005 e hoje conta com o apoio de 141 Estados. No Brasil, o compositor e cantor Gilberto Gil e embaixador da Boa Vontade da UNESCO, lembrou-se da importância do Tratado, adotado durante seu mandato como Ministro da Cultura. Em mensagem de apoio aos dez anos de sua criação, definiu o Tratado como “um momento histórico”.  “Tenho orgulho de ter participado, como Ministro da Cultura do Brasil, desse processo único, que buscou incentivar um melhor equilíbrio entre os interesses comerciais e culturais em âmbito mundial”, disse. Segundo o cantor, a comunidade internacional aguardava há muito tempo um acordo, que, por primeira vez, afirmasse a vontade política e o comprometimento dos governos em proteger e promover o maior número possível de expressões culturais. “Hoje, emergem novas sociedades criativas, com novos conceitos e linguagens contemporâneas. A revolução digital nos obriga a reinventar a maneira como fazemos praticamente tudo e também a reexaminar os canais instituídos para a criação, a produção, a distribuição, o acesso e a fruição de bens e serviços culturais”, complementou. Para ele, a comemoração dessa década é uma oportunidade que não pode ser perdida na diversificação da cultura, em todas as esferas. “Das artes públicas aos distritos criativos e plataformas digitais, o compromisso cívico é estimulado em todos os níveis. Tanto no Norte quanto no Sul, artistas e profissionais da cultura não buscam tratamento especial, mas tratamento igualitário”, disse. “Com a Convenção, podemos defender os valores de acesso equitativo, abertura e equilíbrio para a próxima Década.” P/ COMPAZ/FC *Em 15 /Dez. /2016.


Neta de Cartola toma posse como secretária de Cultura do Rio *JB/FC.

Nilcemar Nogueira, a guardiã da memória do samba Carioca.

           Neta de Cartola e Dona Zica esbanja perseverança para não deixar o samba morrer. E acredita que os enredos estariam perdendo a identidade por causa dos patrocínios: ‘Fica tudo mais comercial, e o ser humano vira um treco’ Nilcemar conta com a ‘garra’ dos produtores e agentes culturais, atores sociais na caminha da Pasta da Cultura no Rio. 
             Neta do cantor e compositor Angenor de Oliveira, o imortal sambista Cartola, tomou posse neste, 5 de Janeiro de 2017, a nova Secretária de Cultura do Rio de Janeiro, Nilcemar Nogueira. Um desafio imediato para a nova gestão da área cultural do Município é o pagamento de R$ 25 milhões aos projetos culturais selecionados no edital de fomento, lançado na administração do ex-prefeito Eduardo Paes. Nogueira foi apresentada à classe artística pelo prefeito Marcelo Crivella, no Teatro Carlos Gomes, na Praça Tiradentes – histórico reduto da cultura carioca. Durante a cerimônia, Crivella disse que é preciso ter criatividade em um momento de crise econômica no Município. “Tem fomento, tem verbas, mas estamos em um momento em que precisamos aprender a fazer mais com menos. E as nossas Comunidades têm dado o exemplo; fazer muito, com pouco. A gente precisa ser criativo neste momento em que o Estado e a Cidade vivem momento difícil em sua contabilidade”, disse o Prefeito.
      Em um Auditório lotado de atores, cantores e agentes culturais, Nilcemar prometeu uma gestão de diálogo e transparência. “Eu tenho condições de estabelecer parcerias e, sobretudo, contar com a criatividade dos atores sociais, culturais, e juntar todas essas classes artísticas e todas as linguagens”, disse Nilcemar. Apesar do discurso de austeridade do prefeito, a nova secretária ressaltou que vai lutar pela dotação de pelo menos 1% do orçamento municipal para a Cultura e pela garantia do vale- cultura para promover o acesso à arte a estudantes e famílias de baixa renda.





Nilcemar Nogueira é uma gestora cultural. É Doutora em Psicologia Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Mestra em Bens Culturais e Projetos Sociais pela Fundação Getúlio Vargas, foi professora da Universidade Estácio de Sá.
 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016



                   DECRETO de NATAL PERMANENTE

 

“... Fica decretado que as Mesas do Natal Permanente estejam cobertas de afeto e dispostas a renascer com o Menino; tratemos de sepultar iras e invejas, amarguras e ambições desmedidas, para que o nosso Coração acolhedor como a Manjedoura de Belém, rodeada de carinhos, de gestos e Ações de Paz...”

“... Fica, também, decretado que assim como os Reis Magos, devemos depositar um Voto de confiança à ESTRELA para que conduza, eternamente, nossos anseios, nossa Causa, metas e finalidades, nossa felicidade; e pela construção de dias melhores para os Povos do Mundo inteiro...”
                    
                      Nós, Fundadores, Diretores, Simpatizantes e Parceiros do Comitê pela PAZ/COMPAZ – desejam que neste ANO NOVO – através da Cultura de PAZ – possamos proporcionar não apenas momentos de renovação, de inovação, de prosperidade, de alegria e de afeto mútuo; promova, também, em cada um de Nós, os Valores, e possibilidades de Atitude de colaboração e coletividade, de partilha, de fraternidade, de solidariedade, de ética positiva e de justiça para nossas Comunidades na Região/Alvo. COMPAZ: 2017

COMPAZ/ONG. Pacifista - Cultural do Centro Sul-Fluminense, Vale do Paraíba do Sul e seu entorno.
       Desde 1985 – Preserve Conosco essa ideia Cultural!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016



 Via COMPAZTR/Folha Cultural



DECRETO de NATAL PERMANENTE


“... Fica decretado que as Mesas do Natal Permanente estejam cobertas de afeto e dispostas a renascer com o Menino; tratemos de sepultar iras e invejas, amarguras e ambições desmedidas, para que o nosso Coração acolhedor como a Manjedoura de Belém, rodeada de carinhos, de gestos e Ações de Paz...”

“... Fica, também, decretado que assim como os Reis Magos, devemos depositar um Voto de confiança à ESTRELA para que conduza, eternamente, nossos anseios, nossa Causa, metas e finalidades, nossa felicidade; e pela construção de dias melhores para os Povos do Mundo inteiro...”
                    
                      Nós, Fundadores, Diretores, Simpatizantes e Parceiros do Comitê pela PAZ/COMPAZ – desejam que neste ANO NOVO – através da Cultura de PAZ – possamos proporcionar não apenas momentos de renovação, de inovação, de prosperidade, de alegria e de afeto mútuo; promova, também, em cada um de Nós, os Valores, e possibilidades de Atitude de colaboração e coletividade, de partilha, de fraternidade, de solidariedade, de ética positiva e de justiça para nossas Comunidades na Região/Alvo. COMPAZ: 2017/