sexta-feira, 13 de outubro de 2017

No Rio, ONU comemora aniversário com banda de refugiados e coletivo da Baixada Fluminense.  

Publicado em

 A Década Internacional de Afrodescendentes será celebrada com música e festa no dia da ONU, em 24 de outubro de 2017. O Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) realiza evento cultural com apresentação de uma banda de refugiados africanos e um grupo musical da Baixada Fluminense. As apresentações acontecem na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, com entrada franca.

      Participam da apresentação a banda de congoleses e angolanos Bomoko, que significa união em lingala. O coletivo Baixada Nunca se Rende reunirá 13 artistas que tocarão reggae, rock e rap e inclui nomes conhecidos como Renato Biguli (Monobloco e Cabeça de Nego) e Eddi Mc (Nocaute).

  
A Banda Baixada Nunca se Rende – ou BXD DAND  é um coletivo com mais de 100 músicos da região. Eles usam reggae, rock e rap para falar das belezas e desafios da arte independente. O coletivo tem nomes como Renato Biguli (Monobloco e Cabeça de Nego), Banda Rota Espiral, Dida Nascimento, DJ Nino Leal e Eddi Mc (Nocaute). O coletivo tem colaborado com a ONU na divulgação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030.

Confirme sua participação no evento pelo Facebook: www.facebook.com/events/236484183547125.

Concurso de fotografia sobre objetivos da ONU tem prazo prorrogado para 20 de outubro. Publicado em

O Concurso de Fotografias Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), organizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil, teve seu prazo de inscrição prorrogado para 20 de outubro. O concurso é dividido em 17 categorias, cada uma sobre um ODS específico. Serão selecionadas até três imagens por categoria. 

Competição é aberta ao público em geral, de qualquer estado brasileiro ou do Distrito Federal, bem como estrangeiros residentes do país com a devida autorização. Candidatos devem ter 18 anos ou mais na hora de se inscrever.

O concurso é dividido em 17 categorias, cada uma sobre um ODS específico. Serão selecionadas até três imagens por categoria. Os vencedores receberão certificado de reconhecimento do PNUD. Não há limite para o envio de imagens por participantes.

As fotografias devem ser enviadas para o e-mail concursodefotos@undp.org, acompanhadas da autorização de uso de imagem assinada pelo(a) candidato(a), descrição do contexto da fotografia e nome completo e endereço (físico e eletrônico) do(a) autor(a). As imagens devem ser de até nove megabytes.
Somente serão aceitas as candidaturas de imagens inéditas, que não tenham sido apresentadas em materiais de divulgação ou premiadas em outros concursos até a data de inscrição. As fotografias serão selecionadas de acordo com critério de linguagem fotográfica, originalidade, criatividade, adesão aos ODS e respeito aos direitos humanos.
Com base na Agenda 2030, o PNUD pretende, com o Concurso, identificar imagens que remetem à adoção e à implementação dos ODS. O objetivo é colaborar para a disseminação de boas práticas que favoreçam o desenvolvimento econômico, social e ambiental no Brasil, de forma integrada.
Clique aqui para acessar o edital do concurso.
O download do termo de autorização de uso de imagem pode ser feito clicando aqui. Mais informações podem ser obtidas por meio do e-mail concursodefotos@undp.org.
Para conhecer mais sobre os ODS e a Agenda 2030, acesse www.agenda2030.org.br.

UNICEF e Beyoncé se unem pela liberdade das meninas. Publicado em

         Para lembrar o Dia Internacional das Meninas, observado neste, 11 de Outubro de 2017, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou a iniciativa “Liberdade para as Meninas”, projeto de conscientização online que recebeu o apoio da cantora Beyoncé Knowles. O vídeo da campanha mostra jovens de diferentes partes do mundo dançando ao som de “Freedom”, hit da artista norte-americana. Produção explica como as desigualdades de gênero afetam tragicamente a vida das crianças.
       
      Segundo dados da Agência da ONU, a cada cinco minutos, uma menina morre vítima de violência. Uma em cada quatro se casa ainda durante a infância. Das vítimas de tráfico humano, 71% são mulheres. Cerca de 63 milhões de jovens já foram submetidas à mutilação genital feminina.
      As disparidades também afetam a saúde e a educação das mulheres. Atualmente, existem 130 milhões de meninas fora da Escola. Em média, as meninas também têm duas vezes mais chances de contrair HIV.
Para o UNICEF, ser menina é lutar diariamente pela liberdade. Com a campanha, o organismo internacional convoca usuários das redes sociais a definir o que eles acham que é “liberdade para as meninas”. Para participar, use a hashtag em inglês,


#FreedomForGirls.
          A Agência da ONU também chama Países, Comunidades e indivíduos a trabalharem juntos para cumprir os Objetivos Globais da ONU, um conjunto ambicioso de metas que prevê a erradicação de todas as formas de violência de gênero até 2030. O plano inclui ainda a promoção da educação de qualidade, do bem-estar e da segurança para todos, em qualquer parte do mundo, bem como o fim da epidemia de AIDS como problema de saúde pública.
Acesse o site da campanha e conheça outras iniciativas para a promoção dos direitos das meninas: http://www.globalgoals.org/dayofthegirl.

domingo, 8 de outubro de 2017



Agências da ONU defendem liberdade dos professores e criticam precarização da profissão. Publicado em 05/10/2017

          A UNESCO marca o Dia Mundial dos Professores, lembrado neste, 5 de outubro de 2017, com um apelo por mais autonomia para os profissionais da educação. Em mensagem para a data, a agência da ONU defendeu salários mais justos para educadores e criticou a precarização da carreira, sobretudo nas universidades. Organismo reiterou apoio à liberdade intelectual e pedagógica de docentes em todos os níveis de ensino. Declaração é apoiada também pelo PNUD, UNICEF e OIT.

         A UNESCO marca o Dia Mundial dos Professores, lembrado neste, 5 de outubro de 2017, com um apelo por mais autonomia para os profissionais da educação. Em mensagem para a data, a Agência da ONU defendeu salários mais justos para educadores e criticou a precarização da carreira, sobretudo nas universidades. Organismo reiterou apoio à liberdade intelectual e pedagógica de docentes em todos os níveis de ensino.

“Ser um professor Capacitado significa ter acesso a uma formação de alta qualidade, salários justos e oportunidades contínuas para o Desenvolvimento Profissional. Também significa ter liberdade para apoiar o desenvolvimento dos currículos nacionais – e autonomia profissional para escolher as abordagens e os métodos mais apropriados e que possibilitem uma educação mais efetiva, inclusiva e igualitária”, afirmou a UNESCO.
Em 2017, a data mundial está sendo observada com o tema “Liberdade para ensinar, empoderar os professores”. O pronunciamento da UNESCO é assinado também por outras três instituições das Nações Unidas — o Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Os organismos alertam para um cenário generalizado de obstáculos à autonomia acadêmica do Professor.
           “Em todos os níveis educacionais, as pressões políticas e os interesses comerciais podem limitar a capacidade dos professores de ensinar com liberdade”, apontam a UNESCO.




          “Os níveis primário e secundário de alguns países, sistemas rigorosos de responsabilização colocam uma enorme pressão para que as escolas entreguem resultados em testes padronizados, ignorando a imprescindibilidade de se garantir um currículo de base ampla que satisfaça as diferentes necessidades dos estudantes.” Já no ensino Superior, é a flexibilização da Carreira que cria Quadros de instabilidade — prejudicando a qualidade do Ensino.
         “Na Educação Superior, com frequência, os Professores são empregados com contratos temporários de forma contingencial. Isso, por sua vez, pode resultar em mais insegurança e carga de trabalho, assim como menores salários e perspectivas profissionais – fatores que podem restringir a liberdade acadêmica e enfraquecer a qualidade da educação que os professores podem oferecer”, avaliam os organismos da ONU. De acordo com a UNESCO e seus parceiros, embora a autonomia seja primordial em todos os níveis de ensino, nas universidades a liberdade intelectual é especialmente essencial para as atividades de pesquisa e inovação.
Comemorado anualmente no dia 5 de outubro desde 1994, o Dia Mundial dos Professores celebra a assinatura da Recomendação da OIT/UNESCO de 1966, relativa ao Estatuto dos Professores. A diretiva constitui o principal marco legal de referência para abordar os direitos e as responsabilidades dos professores em escala global. Mais de duas Décadas após a adoção do Documento, a UNESCO aprovou uma nova normativa — a Recomendação de 1997 sobre o Estatuto do Pessoal do Ensino Superior — com o intuito de complementar as Resoluções até então existentes. Segundo a Agência da ONU, a medida foi necessária porque Docentes universitários frequentemente são negligenciados em debates relativos ao Estatuto de sua Profissão.
Entre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, os ODS, o de nº 4 prevê a promoção da educação de qualidade para todos. Uma das metas específicas é aumentar substancialmente o contingente de professores qualificados, inclusive por meio da cooperação internacional. Fonte: UNESCO/ Edição de Blog/ COMPAZTR/Folha Cultural


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

NOTÍCIAS MUSICAIS * Vinicius Pereira
          Sábado, dia 23 de Setembro, de 2017; eis que dois eventos de grande importância resplandecem no cenário musical trirriense. Tratam-se, pois, do VIII Festival de Música Estudantil do Colégio Municipal Walter Franklin e do aniversário da Banda Sinfonia Celeste.
Idealizado pela professora Suzane Ferreira, o Festival de Música Estudantil do C.M.V.F. é pura manifestação de sensibilidade da docente que há oito anos reconhecera os muitos talentos musicais de nossa cidade e que, infelizmente, passavam incógnitos, destinados ao esquecimento. Resgatar os talentos condenados ao oblívio, mais que um ato de altruísmo, é justiça para com nossos jovens talentosos. No ínterim, o Festival deu voz a dezenas de estudantes, revelando artistas de qualidades notáveis.
           Na mesma noite, celebrava-se o 59º aniversário da Banda Sinfonia Celeste. Fundada em 1958, na Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Três Rios, o grupo musical é composto por cerca de 40 músicos que se dedicam incansavelmente na execução do repertório sacro, destinado aos ofícios da Igreja, e à música tradicional para bandas de metais. Há seis anos, a Banda é dirigida pelo maestro Marcos Doffini, que não mede esforços na obtenção de um elevado nível musical. De qualidade ímpar, as virtudes da Banda são inquestionáveis. Uma pessoa com conhecimento musical, ao ouvi-la, atestaria sua potencialidade sem ressalvas. Sem dúvidas, o grupo artístico de maior amadurecimento musical residente em Três Rios.
        Não posso me abster em narrar outra efeméride musical de nossa cidade: na quarta-feira (27/09) comemorou-se o 27º aniversário da Escola de Música “Fiamma Música e Arte”. Fundada e dirigida pela competente e talentosíssima pianista Dra. Fiamma Sola Penna, a Escola constitui a mais importante instituição de ensino musical de nossa cidade. Pautada na filosofia de excelência em ensino e difusão cultural, a Escola é responsável pela formação musical de diversas gerações em Três Rios. Para esta celebração, varias apresentações musicais foram elaboradas, com muito esmero, pelos professores e alunos da Escola.
       Finda a semana, é chegada a hora de abrir o Festival Gastronômico da cidade. Coube à Camerata de Violões de Três Rios fazer as honras da casa. Sob o comando do maestro Felipe Carretiero, o grupo dignificou nossa cidade através de sua bela apresentação.
          Eis mais uma semana em que a música manifestou-se jubilosa em nossa cidade, entusiasmando o coração e a alma trirriense. De: Maestro e Cronista Vinicius Pereira.

domingo, 24 de setembro de 2017

Onde a Música Transforma



Mais de metade das crianças e jovens no Mundo ‘não está aprendendo’, diz relatório da UNESCO. Publicado em 22/09/2017


       Cerca de 617 milhões de crianças e adolescentes em todo o Mundo não estão alcançando níveis mínimos de proficiência em leitura e matemática.
Segundo novo relatório da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), a situação sinaliza “uma crise de aprendizado” que pode ameaçar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e, consequentemente, o progresso mundial.
        “Os números são surpreendentes em termos de desperdício de potencial humano e para as perspectivas de alcançar o desenvolvimento sustentável”, disse Silvia Montoya, diretora do Instituto de Estatística da UNESCO, em um comunicado à imprensa.
      O Relatório sugere que cerca de 387 milhões de crianças em idade escolar primária (56%) e 230 milhões de adolescentes em idade equivalente ao ensino fundamental (61%) não alcançarão níveis mínimos de proficiência em leitura e matemática.
Em toda a África Subsaariana, 202 milhões de crianças e adolescentes, não têm conhecimento desses assuntos fundamentais. São quase 90% de crianças entre as idades de 6 e 14 anos que não terão a chance de aprender.
     O Sul e o Centro da Ásia tem a segunda maior taxa, com 81%. Isso significa 241 milhões que não estão aprendendo nessa Região. Surpreendentemente, dois terços das crianças que não estão aprendendo se encontram nas salas de aula. Dos 387 milhões de crianças em idade primária incapazes de ler com eficiência, 262 milhões estão matriculadas nas escolas. Há também cerca de 137 milhões de adolescentes no ensino fundamental que estão nas salas de aula, mas não conseguem atingir os níveis mínimos de proficiência em leitura.
       O Relatório indica que, juntamente com a falta de acesso à escola e a falta de retenção de crianças na Escola, a má qualidade da educação nas salas de aulas é um dos problemas comuns. Para Montoya, os novos dados são um “alerta” para um investimento muito maior na qualidade da educação.
Os Objetivos globais para a Educação são claros: o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4 sinaliza o compromisso dos governos de garantir uma “Educação de qualidade inclusiva e igualitária, além de promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”. Via UNIC-Rio/ COMPAZ-FC.

No Rio, ONU comemora aniversário com banda de refugiados e coletivo da Baixada Fluminense.   Publicado em 09/10/2017 / UNIC-Rio//COMPAZTR...